Sexta-feira, 23 de Maio de 2008

O debate

Foto: Manuel de Almeida (Lusa, 23.5.2008).

.

Não faço a mais pequena ideia qual era o objectivo de Pedro Passos Coelho para o debate de hoje. Julgo que o debate não aqueceu nem arrefeceu. Ninguém definiu a sua orientação de voto, ou alterou o sentido do seu voto, depois de ver o debate. Dito de outra maneira, ninguém ganhou ou perdeu votos em virtude do seu desempenho no debate. Assumindo que estou certo, então o grande derrotado foi Pedro Santana Lopes porque era quem tinha de recuperar terreno.

Manuela Ferreira Leite e Pedro Passos Coelho tiveram desempenhos relativamente semelhantes. Não desiludiram os fiéis. Não cativaram os indecisos. Tudo como antes.

 

publicado por Paulo Gorjão às 22:48
link do post | comentar | favorito
16 comentários:
De TAF a 23 de Maio de 2008 às 23:18
Concordo. Diria apenas que Patinha Antão esteve ao nível dos outros (não olhando ao conteúdo, mas apenas ao desempenho televisivo). Desse ponto de vista, foi talvez quem mais ganhou. Mais tarde, com tempo, hei-de escrever um post sobre a estratégia de comunicação que me parece mais adequada.
De foreman a 23 de Maio de 2008 às 23:33
O debate e a sondagem, a SONDAGEM, mais uma, a terceira no mesmo sentido, são muito claros: ganhou MFL e perdeu PPC. Se não fosse assim teria escrito o que escreveu: "o debate não aqueceu nem arrefeceu."? Este tipo de comentários parecem os de Delgado. Arrefeceu e muito como se vê pelos comentários tristonhos e justificativos.
De Paulo Gorjão a 23 de Maio de 2008 às 23:44
Mas queria o quê? Que dissesse que achei que ganhou PPC quando não é essa a minha opinião? Ou o contrário?
As sondagens valem o que valem, mas se quer falar de sondagens vamos a isso. Lembra-se da sondagem do Correio da Manhã? Quer comparar os resultados? PPC tem um problema de notoriedade, que se resolve facilmente com o tempo. Last but not the least, é Delgado é você, mas com uma diferença. O Delgado, mal por mal, dá a cara pelas suas opiniões.
De Margarida Balseiro Lopes a 23 de Maio de 2008 às 23:35
O debate foi muito esclarecedor. E permitam-me que diga que, claramente, MFL saiu vencedora.

Os outros dois candidatos (perdoem-me mas recuso-me a considerar Patinha como tal, ainda mais depois da sua prestação televisiva) parecem já considerar a vitória de MFL como um dado garantido. A luta agora parece ser entre PPC e PSL. Confesso que apreciei a sobriedade de PPC, ainda que demasiadamente concordante com MFL, facto que não deve colher simpatias junto dos seus apoiantes.

MFL esteve ao seu melhor nível: segura de si própria, apresentando propostas, mas mantendo uma posição de verdadeira estadista. É assim que quero o meu PSD.

FACTO MUITO POSITIVO: telejornal abriu com o tema da probreza e das desigualdades sociais. MFL anda já há um mês a falar desta matéria. Depois de Sócrates se ter já pronunciado sobre este assunto, esta semana, a comunicação social também lhe está a dar o destaque que merece. Finalmente, estão a vislumbrar no PSD (nomeadamente, em MFL) novamente o rosto de uma oposição credível, forte e que vai começar a marcar a agenda política nacional. Por Portugal, pelo PSD.
De Paulo Gorjão a 23 de Maio de 2008 às 23:53
Cara Margarida Lopes, a sua posição não me surpreende, tendo em conta que apoia a MFL. Isto dito, também achei que globalmente MFL não esteve mal. Mais. Não vejo mal algum em existirem pontos de concordância entre PPC e MFL, muito pelo contrário. Pela minha parte, se houve crítica que nunca fiz a MFL foi não ter sentido de Estado. Esse nunca foi o seu problema.
De AS a 24 de Maio de 2008 às 00:11
Se me permite, o seguinte comentário:
1) MFL ganhou o debate antes de ele ter sequer iniciado. A sondagem é demolidora.
2) PPC (em quem eu votaria se pudesse participar nestas eleições) tem um problema de falta de preparação. Percebe-se a existência de um fio condutor mas ainda não tem um pensamento suficientemente sedimentado para defender as suas ideias (ex. CGD ou o código do trabalho) e isso torna o seu discurso circular.

Creio que, para ganhar (agora ou daqui a um ano e meio) terá de sistematizar devidamente a ruptura que pretende imprimir e sem equívocos.
O facto de ganhar o debate, não retira a MFL o epiteto de Sócrates de saias, conforme a apresentadora fez questão de afirmar. E isso, com diria Pacheco Pereira, é todo um programa...
De Paulo Gorjão a 24 de Maio de 2008 às 00:25
Caro(a) AS, eu sou o primeiro a dizer que PPC tem de «caminhar caminhando». Aliás, é o próprio PPC quem reconhece que este não é o seu calendário. Acontece que as coisas são como são. Se PPC vencer as directas tem tempo à sua frente para sistematizar a ruptura. E é isso que eu não me canso de salientar aqui: PPC tem um «rumo alternativo» para apresentar. Isso é o essencial. O resto, com tempo, resolve-se. PPC, na minha opinião (e posso estar enganado, claro) é o único realmente com capacidade efectiva de se apresentar como uma alternativa.
De Anónimo a 24 de Maio de 2008 às 00:13
Com que então propaganda subliminar, pôr o PPC ao lado da MFL no dia em que ela ganhou tudo.
De Paulo Gorjão a 24 de Maio de 2008 às 00:19
As coisas que eu faço, caro anónimo, no âmbito da propaganda subliminar. Já viu que no texto a primeira pessoa de quem falo é PPC? E a última é igualmente PPC? Propaganda subliminar, seguramente.
De João Barros a 24 de Maio de 2008 às 00:20
e ninguém se pronuncia sobre o facto que levou a que o debate não tivesse mais qualidade? refiro-me sim a miss botox que fez o mais difícil, transformar um debate em algo que .... com hei-de dizer.... faltam-me as palavras... é isso, não lembra a ninguém mesmo...
De Paulo Gorjão a 24 de Maio de 2008 às 00:29
Caro João Barros, não é preciso ser indelicado. Tem razão: a postura de Manuela Moura Guedes esteve ao nível do costume.
De Vítor Gandarez a 24 de Maio de 2008 às 00:41
O Pedro é que ganhou o debate, pois a Manela não o esmagou. Com tanta credibilidade e experiência, o jovem e inexperiente respondeu taco a taco. Sai reforçado aos olhos dos militantes.
De Paulo Gorjão a 24 de Maio de 2008 às 00:45
Caro Vítor Gandarez, suponho que o "Pedro" de que fala é o PPC e não o PSL. Não estou de acordo consigo. Repito-me: há um derrotado claro e o resto foi irrelevante.
De Pedro Braz Teixeira a 25 de Maio de 2008 às 18:57
Concordo com o post. Aliás PSL ficar em 3º nas eleições tranquilizar-me-ia muito sobre o estado do PSD, derrotando de forma evidente um candidato populista.

Mas esta ideia do PPC de pedir a descida do ISP é de uma demagogia indesculpável num economista. Portugal importa quase 90% da energia que consome e vamos fingir que não temos que nos adaptar a um mundo de energia cara durante as próximas décadas?
De Paulo Gorjão a 25 de Maio de 2008 às 20:48
Caro Pedro Braz Teixeira, pois, a proposta do ISP suscita-me algumas dúvidas...
De Paulo Gorjão a 25 de Maio de 2008 às 21:10
...mas não excluo que possa ter algumas virtudes. Economia, porém, não é a minha especialidade.

Comentar post

Site Oficial

www.passoscoelho.info

pesquisar

 

E-mail

ofuturoagora (a) sapo ponto pt

Colaboradores

AAN

Filipa Martins

João Espinho

Jorge Fonseca Dias

LR

Paulo Gorjão

Rui A.

TAF

Vasco Campilho

Vítor Palmilha

Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

posts recentes

Um novo ciclo

A campanha acaba aqui

Este é o meu voto

Este é o meu Partido

Razões para escolher

O voto útil a Portugal

Votar pela positiva

Sentimento de urgência e ...

Uma pessoa...

interesse comum

arquivos

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

tags

todas as tags

Blogs

Atlântico (blog)

3 liberdades

4ª República

5 dias

8 e coisa

19 Meses Depois

25 Centímetros de neve

Abrupto

Abaixo de zero

Alexandre Soares da Silva

Acho eu

Absolutamente ninguém

Ainda há lodo no cais

Apaniguado

Agora sou crescida

Águia de ouro

Aliciante

Amor e ócio

Anarca constipado

Anónimo

Ambientalista céptico

and this is Reality

Andrew Sullivan

Arte da Fuga

Arcádia

Amigo do povo

Arrastão

Aspirina B

As fadas

As afinidades efectivas

Avatares de desejo

Avesso do avesso

Apdeites2

Axonios gastos

Azurara

Barbearia

Blogadissimo

Bolague

Bichos carpinteiros

Bem pelo contrário

Blasfémias

Bitoque

Blogo existo

Blog dos farrapos

Blogota

Blogotinha

Bloguitica

Blogue do não

Blogzira

Blue lounge

Boato

Bomba Inteligente

Boina Frígia

Búzio de Cós

Bussola

Caldeirada de neutrões

Cachimbo de Magrite

Café moido

Café puro arábica

Canhoto

Caderno I

Café Moído

A Causa Foi Modificada

Certamente que sim

Condomínio

Cegueira lusa

Causa liberal

Causa nossa

Carambas

Caricas

Codfishwaters

Combustões

Conversa de mudos

Coimbra é nossa

Contra a corrente

Cortar a direito

Corta-fitas

Circo em chamas

Crackdown

Crítico musical

Crónicas Alfacinhas

days of angst

Desesperada esperança

Direita por linhas tortas

Dedos

Discurso directo

Direito de opinião

Educação cor-de-rosa

Eça é que é Hesse

Engraçadinho

Esquisito

Estes momentos

esta noite às 11

Ensaio geral

Ex-Ivan Nunes

Don vivo

Diplomata

Defender o quadrado

Do contra

Educação Sentimental

Eclético

Esplanar

Escudo

E-jetamos

Elbaeverywhere

Enguia Fresca

Escola de lavores

Espelho meu

A Espuma dos dias

Esquerda direita volver

Esquina do rio

Estado Civil

Espumadamente

Estrago da Nação

Esquerda republicana

Estado do sítio

Europas

Farol do deserto

Fuga para a vitória

Franco atirador

French kissin

Fonte das virtudes

Futuro presente

Gazeta Lusitana

Gato de Cheshire

Guerra das laranjas

Grande palhaço

Hoje há conquilhas

Há vida em Markl

Hole Horror

Homem a dias

Horas perdidas

Glória fácil

Grupeta

Gamvis

Geração de 60

Geraldo sem pavor

Gato fedorento

Grande Loja do Queijo Limiano

Insecto

Incontinentes Verbais

Impensável

Indireita

Ireflexões

Ideias com ideais

Da Literatura

Guest of time

Insubmisso

Insurgente

Lauro António

Liberdade democrática

Lisboa dakar

Lobi

Jazza-me muito

Janelar

Jonasnuts

Jornalismo de Sarjeta

Jp coutinho

Jumento

Juízo do ega

Mais actual

Magude

Mais Évora

Ma-Shamba

Mel com cicuta

Margens de erro

Mar salgado

Mancha na reputação

Marretas

Mau tempo no canil

Miss Pearls

Montanha mágica

Mundo por raimundo

Nortadas

Mulheres à beira de um ataque

No domingo

Notas verbais

No fundo no fundo

Notas ao café

Notas Várias

Notícias da aldeia

Origem das espécies

Observatório da jihad

Ordem e progresso

Os artigos expostos são para consumo...

Office lounging

Pão de leite

Pasta dos dentes

País do burro

O palhetas

Pharmacia de serviço

Peneirar

Papagaio morto

Ponte da mentira

Praça da república

Portugal dos pequeninos

Porttugal e outras touradas

Prenes

Procuro um lugar ao sol

Provas de contacto

Politics and prose

Praia

Pastoral portuguesa

Produções anacrónicas

Psicolaranja

Pitau Raia

Quintacativa

Quase Famosos

Radiomafia

Radeografia

Random precision

Rei Artur

Revista Atlantico

Rititi

Rua da Judiaria

Da Rússia

Revisão da matéria

Santa margarida

Small Brother

Senatus

Sala oval

Sexta coluna

Sempre a produzir

Sub silentio

Sítio da osga

Sentido das coisa

Se numa rua estreita

Sousa Homem

Sobre-vivência?

Tapornumporco

Taverna do embuçado

Tempo que passa

Triunfo dos porcos

Tristes Tópicos

Travel journal

Impressões de um boticário de província

Teoria da suspiração

Tradução Simultânea

Trentonalíngua

Tomar partido

Vasco Campilho

Vida das coisas

Vida das palavras

Vistalegre

Vício de Forma

Vegetais

Vila forte

Vela latina

Vento Sueste

Virtualidades

Voz do deserto

Vozes de burros

We have kaos in the garden

Zona Fantasma

blogs SAPO

subscrever feeds